domingo, 17 de setembro de 2017

Julgamento





Você julga tanto
Mas esquece de enxergar a si próprio!
Esquece de olhar a fundo
Os seus próprios pensamentos!
Os desejos de sua carne.
As palavras proferidas.
Os gestos as escondidas.
Você julga tanto
Mas não enxerga as suas culpas
Considera-se vítima
Quando todos os seus atos
São de um algoz!
Faz julgamentos para esconder
 os seus próprios pecados!

*

Tatiana Moreira